Mais um pouquinho de Lasar Segall

segall2escrevi aqui sobre o Museu Lasar Segall, mas como estou sempre por ali na Vila Mariana, fui de novo! Agora a exposição também era sobre Lasar Segall e também suas viagens e a mudança para o Brasil. Como havia dito no outro texto, os Klabin estão em todas e claro, Jenny Klabin, esposa de Segall, aparece nesta expo. Eis que um texto explica tudo. Jenny Klabin era uma jovem aluna das aulas de desenho de Segall. E depois de alguns anos, se reencontraram e se apaixonaram. Muita amor!
A expo é pequena, mas traz um pouco mais de detalhes sobre a vida do artista e suas intimidades. Há também alguns pertences e móveis dele e da sua família, o que nos leva a imaginar como era sua vida pelo bairro e com Jenny.

segall1

A outra expo é do fotógrafo Facundo de Zuviría, um argentino que registra imagens de portas e janelas de Buenos Aires. Para eu que amo portas e janelas, e as de Buenos Aires são interessantíssimas, foi surpreendente. Todas as imagens são em preto e branco e mostram uma cidade que já teve seu glamour e agora com a maioria de suas “tiendas” fechadas e com suas fachadas grafitadas. Uma pena, mas interessante. Deu saudade de Buenos Aires!

facundo

Museu Lasar Segall
Idas e vindas | Segal e o Brasil – até 04 de julho de 2016.
Frontalismo | Facundo de Zuviría – até 07 de março de 2016.
R. Berta, 111 – Vila Mariana, São Paulo – SP.
Entrada gratuita.

O graffiti da nova economia

Você tem um muro lindo e gostaria de uma arte nele?
Você é artista e queria pintar sua arte num muro, tranquilamente, sem tomar enquadro?
Color+City é um site que faz a união do muro com o artista, em qualquer lugar do Brasil.
Você cadastra seu muro, tira fotos e espera para ver se algum artista tem interesse em pintar ele. O artista que se interessar, reserva o muro e tem até 15 dias para aparecer para pintá-lo. Muro autorizado, é só fazer a arte!
Todos ganham: a cidade, os artistas, o muro, você e eu. 😉

Vocês ainda vão ouvir muito falar disso, mas adianto aqui. Essa é a Fluxonomia 4D (Economia Criativa + Economia Compartilhada + Economia Colaborativa + Economia Multivalores) que está em todo esse processo do Color+City:
– 1D fator cultural: existe uma abundância de talentos dos artistas;
– 2D fator ambiental: a cidade está muito cinza e precisa de uma corzinha;
– 3D fator social: isso gera uma interação: quem olha, quem conversa, quem tem o muro e quem pinta!
– 4D fator monetário: é tudo feito na base da troca, sem envolver money.
A fluxonomia 4D depende de tudo isso para funcionar. E depende muita da confiança que existe entre todos nós. E só tem ganha-ganha e abundância sempre! Pesquise, coloque seus óculos e veja 4D a partir de hoje!


Uma tarde na Vila Mariana…

Gosto de lugares acessíveis, daqueles que você entra, fica à vontade, ninguém fica perguntando onde vai ou lendo as regras para você. Se for de graça também é bom.
E existem 4 lugares na Vila Mariana, ali, descendo no metrô Santa Cruz, que são assim:

Casa Modernista, clique nas imagens para ampliá-las.

Casa Modernista (1)na Rua Santa Cruz, de arquitetura simples, projetada por Gregori Warchavchik, para ele mesmo. Foi considerada a primeira casa modernista do Brasil. Fica dentro do Parque Modernista e com um belo jardim ao redor, projetado por Mina Klabin. Imaginar o que ele viveu ali dentro é a melhor parte da visita.

Exposição Mário de Andrade e seus dois pintores

Na Rua Berta, o Museu Lasar Segall (2), foi moradia e ateliê deste artista. Idealizado como museu, pela viúva Jenny Klabin Segall, foi reaberto ao público em setembro e possui um café, biblioteca e vários cursos. A casa também foi projetada por Gregori Warchavchik, que já que ele estava por ali, resolveu fazer alguns projetos pelo bairro.

Ainda na Rua Berta, há diversas casinhas germinadas e modernistas. Também projetadas por ele e construídas pela família Klabin, que como podem ver, também estavam pelo bairro.
v.mariana1Em uma das casinhas está o Lab de Garagem (3). Ótimo para quem se interessa por tecnologia e precisa de ajuda para construir seus projetos independentes. Eles estão lá para auxiliar e também vender todos os equipamentos que precisar. Também tem workshops como, o de Arduino e de impressora 3D, que eu fiz há um tempinho. Os caras são muito simpáticos e dispostos a sanar todas as dúvidas.

E por fim, para desestressar, visite o Instituto Luz (4), na mesma rua. Todas as sexta-feiras, das 14hs às 17h, você pode levar 1 pacotinho de café ou leite em pó e receber aplicação de Reiki gratuitamente. É gratificante!

E depois de todo esse passeio eclético, espero que você tenha gostado e se identificado com algum. Pegue o mapa e visite, vale a pena!
stacruz

Aaah Kandinsky!

kand

Quase desisti de ver a expo. Como boa brasileira, enrolei para ir, depois tinha uma fila online de 5745 pessoas para marcar hora, mas decidi que não perderia a exposição do Kandinsky e fui. No último dia, claro!CCBB sem fila, eu com hora marcada, não havia muita gente amontoada na frente dos quadros. Consegui ver tudo tranquilamente.
Gostei de saber mais da sua história pessoal em um dos vídeos e que ele fazia xilogravuras, algumas coloridíssimas. Também haviam obras de outros artistas da mesma época e de Gabriele Münter, uma de suas esposas. Acredito que eles pintavam juntos e que ambos se influenciaram com os estilos de pintura um do outro.
Não sou expert no assunto, por isso foi tão bom não ter deixado passar essa oportunidade. E na hora de ir embora, peguei uns óculos especiais no hall de entrada, onde podíamos ver a obra de Kandinsky em 3D. Ótima experiência, mas acabou!

A próxima exposição será ótima também. Só acompanhar no facebook, que aliás, todas as dúvidas que tiver, eles respondem ali. São super atenciosos e muitas vezes engraçados! Vale a pena seguir.