O verdadeiro custo da moda

BtcgRH_CQAEIfga

The True Cost movie

The True Cost é um documentário sobre o valor que damos para a moda, mas acredito que poderíamos pensar em algo além de roupas. É um tapa na cara e é de chorar. Então se você estiver afim de ver uma comédia romântica, deixe-o para outro dia.
Para quem trabalha ou trabalhou com moda, mesmo indiretamente, algumas coisas apresentadas no filme já surpreendem, mas comove pelo fato de que não são somente estes profissionais que estão ligados a tudo que é mostrado no filme, todos nós estamos. E por isso, pensar em mudanças é urgente e necessário.

Se alguma vez você reclamou do seu ambiente de trabalho, do calor, do frio do ar condicionado, do baixo salário, de algo que parecia insalubre demais para você, imagine então o prédio que você trabalha caindo em cima de você e de seus colegas de trabalho. E o que muda depois que um prédio cai e mata mais de 900 trabalhadores? Nada. Eles apenas estavam ali ganhando alguns dólares para costurar roupas de uma grande empresa de moda, que se nega a ser responsável pela vida deles.
E ainda assim, o que fazemos para mudar uma situação dessas? Continuamos consumindo, amando comprar roupas a cada dia e adoramos contribuir para que mais e mais pessoas trabalhem nestas condições.

A empresa Monsanto é citada no filme como fornecedora de sementes de algodão para pequenos fazendeiros da índia. Para fazer os tecidos lindos das nossas roupinhas, essas sementes foram modificas geneticamente, além de serem caríssimas. O alto custo das sementes gera uma dívida infinita aos fazendeiros que, quando já não conseguem pagá-la, bebem inseticidas e se suicidam. Muitas pessoas que vivem no local possuem doenças crônicas, devido ao uso dos inseticidas nas muitas plantações de algodão que existem por lá. Mas acredite, as empresas que produzem as sementes, os inseticidas e remédios para tratamento destas doenças, são as mesmas!
Por isso digo que este é o real custo das nossas vidas e não só da sua roupa. Tudo que consumimos está ligado. Alguém se lembra que a Monsanto também é a empresa que produz os alimentos industrializados que comemos todos os dias?
Pois então pense no que consome, compre do pequeno produtor, se dedique a colocar sobre o seu corpo e dentro dele o que realmente é bom para você. Assim você não alimentará esta indústria que te cerca por todos os lados.

Dicas:
– Leia sobre o Fashion Revolution, em breve escreverei mais sobre este tema.
– Entenda o que é o Lowsumerism.
Procure mudar seus hábitos a cada dia, antes que eles mudem a sua vida.

 

Uma tarde na Vila Mariana…

Gosto de lugares acessíveis, daqueles que você entra, fica à vontade, ninguém fica perguntando onde vai ou lendo as regras para você. Se for de graça também é bom.
E existem 4 lugares na Vila Mariana, ali, descendo no metrô Santa Cruz, que são assim:

Casa Modernista, clique nas imagens para ampliá-las.

Casa Modernista (1)na Rua Santa Cruz, de arquitetura simples, projetada por Gregori Warchavchik, para ele mesmo. Foi considerada a primeira casa modernista do Brasil. Fica dentro do Parque Modernista e com um belo jardim ao redor, projetado por Mina Klabin. Imaginar o que ele viveu ali dentro é a melhor parte da visita.

Exposição Mário de Andrade e seus dois pintores

Na Rua Berta, o Museu Lasar Segall (2), foi moradia e ateliê deste artista. Idealizado como museu, pela viúva Jenny Klabin Segall, foi reaberto ao público em setembro e possui um café, biblioteca e vários cursos. A casa também foi projetada por Gregori Warchavchik, que já que ele estava por ali, resolveu fazer alguns projetos pelo bairro.

Ainda na Rua Berta, há diversas casinhas germinadas e modernistas. Também projetadas por ele e construídas pela família Klabin, que como podem ver, também estavam pelo bairro.
v.mariana1Em uma das casinhas está o Lab de Garagem (3). Ótimo para quem se interessa por tecnologia e precisa de ajuda para construir seus projetos independentes. Eles estão lá para auxiliar e também vender todos os equipamentos que precisar. Também tem workshops como, o de Arduino e de impressora 3D, que eu fiz há um tempinho. Os caras são muito simpáticos e dispostos a sanar todas as dúvidas.

E por fim, para desestressar, visite o Instituto Luz (4), na mesma rua. Todas as sexta-feiras, das 14hs às 17h, você pode levar 1 pacotinho de café ou leite em pó e receber aplicação de Reiki gratuitamente. É gratificante!

E depois de todo esse passeio eclético, espero que você tenha gostado e se identificado com algum. Pegue o mapa e visite, vale a pena!
stacruz