Desenhe sua vida

photo-1432888498266-38ffec3eaf0a

Fonte: unsplash.com

Os primeiros passos que um designer utiliza para começar um projeto é pensar sobre o problema que lhe foi exposto. Por exemplo: reformular um logo, um novo produto para uma loja, um sistema para facilitar compras… Qualquer que seja o problema devemos pensar nele, fazer pesquisas, realizar brainstorming e nunca pensar na solução. Devemos ampliar nosso pensamento, trocando informações com outras pessoas, pesquisando o ambiente e quem irá usufruir do projeto. Se pensarmos na solução nesta etapa nos limitamos às primeiras ideias. Assim, com todos os pensamentos organizados, partimos para criação e nesta etapa já sabemos como fazer.

Na vida real podemos usar a mesma ferramenta para nossos problemas cotidianos. Pensar no que se quer fazer da vida, pensar em mudar de país, pensar em mudar de carreira, coisas assim que causam uma certa dúvida e parecem não ter soluções. Mas tem sim!
Basta pensar e fazer perguntas poderosas para si mesmo:
O que eu amo fazer? Quem poderia me ajudar nisso? O que eu posso fazer para conseguir isso?
Depois disso vc para e sente. Sinta se aquilo q você respondeu nas perguntas gera um sentimento bom para você. Se sim, você já saberá como realizar tudo para que se torne realidade. Por isso, naquela fase das perguntas poderosas, nunca pergunte “Como?”, pois é neste momento que a resposta virá como consequência do seu sentimento bom.

Não é simples, pois é difícil olhar para dentro de si e entender por onde começar!
Mas comece e você verá os resultados.

Empatia em SP

sampaDifícil encontrar pessoas com empatia, principalmente numa cidade como São Paulo. Você acorda, sai correndo, entra no seu transporte, troca algumas palavras com o pessoal do trampo e faz tudo de novo pra voltar para casa. Nem quando nos falamos nas redes sociais, entendemos que ali podemos praticar a empatia.
Em que momento você conseguiu parar, olhar para alguém e realmente perguntar com toda a curiosidade do mundo: “Tudo bom com você?”? E depois não pensar na resposta como algo previsível, mas sim escutar e entender o que aquilo significa para esse alguém.
Difícil, é tudo tão automático. O “tudo bem?”, não é mais usado para saber se o outro está bem, ele é tipo um cumprimento mesmo, um “oi”. Mas meu amigo, se você não responder que está “tudo bem”, é uma ofensa. Que gera fofocas, que afasta pessoas e uma palavra transforma todas as relações.
O ponto é: a única coisa que você pode esperar de uma pessoa, é o que VOCÊ deu a ela.
Se você realmente quiser que ela fale com você, te entenda, te trate bem, se abra, te beije ou te abrace, diga isso a ela!

O designer aprende a fazer isso desde os seus primeiros projetos. A empatia é essencial para ele entender o que o cliente precisa e acertar na mosca! Ele é um gênio? Não, ele pára para te escutar, ele entende aquilo que está na sua cabeça e o que você esteve disposto a dizer a ele. E assim, ambos fizeram um bom trabalho!

Hoje, olhando essa cidade de cima, pensei: “Será que essas pessoas sabem o que estão fazendo ali embaixo?”. Me senti tão pequena vendo o tamanho dessa cidade, tudo o que foi e é feito para ela ser assim. São Paulo, não é feita de prédios e sim de pessoas que estão dentro deles. Olhe para dentro.

Faça e compre sua caneta Bic!

bic

Neste link você pode customizar a sua Bic, escolhendo a cor da tampa, do corpo, da carga e da tampinha que fecha a caneta. E o mais legal é que você pode colocar algo escrito nela! É super fácil de fazer e no site está tudo explicadinho.
Depois de feito, você compartilha o link da sua caneta para votação. As 10 canetas que conquistarem mais votos em 10 dias, ganham 60 unidades exclusivas do projeto e um Samsung Galaxy S6. 32GB.
Maaaas, ao terminar de customizar, existe a opção de comprar a caneta feita por você. No mínimo 15 canetas por volta de R$39,00. Achei que vale a pena! Faz para os amigos, para divulgar seu trabalho, para a empresa, para dar de presente, para um grupo que você faz parte e todo mundo paga e customiza junto!
O projeto Bic-se fica no ar até 15/12/2015. Você também pode ver as Bics já criadas, aqui.

Um pouco de história
László Biró desenvolveu em 1938 as canetas Biro, que possuíam tintas de secagem rápida e ponta de esfera. Mas em 1958, na França, Marcel Bich adquiriu a patente dessas canetas e criou a versão descartável, a Bic. Foram vendidas 3 trilhões delas por ano, na década de 90 e até hoje são muito utilizadas.
bic2

Fonte: Livro O Design do Século – Tambini, Michael


Hoje é dia de sentir

costuraHoje é um dia para lembrar das pessoas que se foram.
Mas se você sentir, perceberá que às vezes eles estão por aqui. Nunca para te atrapalhar, mas o amor delas permanece. Naquele dia que você se sente bem do nada, sente que ganhou um presente sem ganhar, quando o dia está lindo, mesmo nubladinho, aquela pessoa que aparece pra te dizer coisas lindas. É neste dia que você percebe que o que está ali, é parte de todos eles: o amor.
O amor fica em todos nós, é aquilo que você quer guardar, comprar, materializar e não pode. É exatamente aquilo que você sente e não mais que isso.
Uma vez Eliane me disse que minha mãe fica distante, mas que sempre me dá uma ajudinha nos momentos difíceis. Eu não tive que raciocinar ao ouvir isso. Eu apenas lembrei de todas as vezes que senti. Ela estava lá. Aquele mesmo amor que doou a cada um de seus alunos, vizinhos, políticos, pais e mães, continua por aqui para quem quiser sentir. Isso é o amor incondicional e ela viveu por todos vocês que passaram na vida dela. Ela acordava e ia dormir pensando em todos nós. Pode apostar, pois eu vi isso. Você não precisa fazer igual, basta sentir um pouquinho. O amor vem em forma de um abraço, de um olhar amoroso, do “eu te amo” que minha tia conseguiu dizer ao meu avô antes de ele ir embora. Sinta este presente que deixaram para nós e pelos que estão ao seu lado.


O graffiti da nova economia

Você tem um muro lindo e gostaria de uma arte nele?
Você é artista e queria pintar sua arte num muro, tranquilamente, sem tomar enquadro?
Color+City é um site que faz a união do muro com o artista, em qualquer lugar do Brasil.
Você cadastra seu muro, tira fotos e espera para ver se algum artista tem interesse em pintar ele. O artista que se interessar, reserva o muro e tem até 15 dias para aparecer para pintá-lo. Muro autorizado, é só fazer a arte!
Todos ganham: a cidade, os artistas, o muro, você e eu. 😉

Vocês ainda vão ouvir muito falar disso, mas adianto aqui. Essa é a Fluxonomia 4D (Economia Criativa + Economia Compartilhada + Economia Colaborativa + Economia Multivalores) que está em todo esse processo do Color+City:
– 1D fator cultural: existe uma abundância de talentos dos artistas;
– 2D fator ambiental: a cidade está muito cinza e precisa de uma corzinha;
– 3D fator social: isso gera uma interação: quem olha, quem conversa, quem tem o muro e quem pinta!
– 4D fator monetário: é tudo feito na base da troca, sem envolver money.
A fluxonomia 4D depende de tudo isso para funcionar. E depende muita da confiança que existe entre todos nós. E só tem ganha-ganha e abundância sempre! Pesquise, coloque seus óculos e veja 4D a partir de hoje!